A Internet – como espaço virtual em si – possibilita aos utilizadores/visitantes a participação no processo teatral.
Os edifícios podem ser penetrados virtualmente, neles encontram-se actores que agem com o espaço nas suas formas real e virtual.
O visitante da rede torna-se actor e encenador na "Montanha Mágica" de transformação dos espaços. Ao mesmo tempo tropeça numa variedade de tecidos: fragmentos de textos em alemão e português, auscultação de pulmões em sons digitais, efeitos musicais e e-mails filosóficos.
A própria exploração/reconhecimento torna-se o motor da encenação.
Para a navegação o utilizador tem acesso a vídeos, fotos, sons e textos.
Sobreposições, acumulações e sequências ocasionais aumentam o jogo interactivo.